Por que morar em condomínio? 6 motivos

Quem procura por segurança, praticidade, qualidade de vida e tranquilidade, muitas vezes, acaba por escolher morar em um condomínio. Além de oferecer essas vantagens, é um local fechado que funciona a partir de regras de convivência. Você terá a individualidade do seu lar com uma vida em comunidade nas áreas comuns.

Ou seja, pode ser o ideal para a sua residência! Para te ajudar a avaliar, separamos as principais vantagens de morar em condomínios. Confira!

1. Segurança

A segurança é um dos principais motivos das pessoas mudarem de casas comuns para os condomínios. Nesses empreendimentos, geralmente, existem sistemas bem estruturados de segurança, como:

  • Portaria 12 ou 24 horas;

  • Equipe treinada;

  • Controle de acesso de moradores, visitantes e prestadores de serviço;

  • Infraestrutura com portões automáticos, cerca elétrica, alarmes etc;

  • Câmeras de segurança;

  • Entre outros recursos.

Essas medidas diminuem consideravelmente os riscos e trazem mais tranquilidade aos moradores. Além disso, como os moradores convivem no mesmo espaço, fica mais fácil conhecer seus vizinhos e assim, caso eles vejam algo suspeito, eles podem ajudar a resolver os problemas com mais facilidade.


2. Estrutura de lazer

Outro benefício dos condomínios é a estrutura de lazer para os moradores. Muitos empreendimentos contam com condomínios-clube e, assim, oferecem piscina, salão de festas, brinquedoteca, playground, academia, quadra de futebol, vôlei e outros. Ou seja, toda a estrutura de lazer está à sua disposição, sempre!


3. Senso de comunidade

É importante que quem mora em condomínio desenvolva um senso de comunidade. Mesmo que você tenha privacidade dentro da sua casa, nas áreas comuns é preciso ter o cuidado de sempre pensar no coletivo.


4. Praticidade e tranquilidade

A praticidade e tranquilidade de morar em um condomínio pode ser percebida com: segurança; áreas de lazer; comunidade; serviços e conveniências, como feiras, minimercados, lavanderia compartilhada; além de poder realizar algumas atividades rotineiras ali dentro, sem precisar sair. A vida fica mais prática e também mais tranquila.

Outro ponto é que os condomínios costumam ser construídos próximos a farmácias, hospitais, escolas e vias de acesso rápidas às principais áreas das cidades.

Além disso, manutenções, conservação, limpeza e diversas outras atribuições para manter o condomínio funcionando bem são de responsabilidade do síndico.


5. Qualidade de vida

Qualidade de vida é ter acesso a uma estrutura completa de lazer, a tranquilidade de morar em um local seguro, a praticidade nas atividades do dia a dia e por aí vai.
Ou seja, em um condomínio é possível ter segurança, lazer, criar laços com a comunidade, vida social e uma boa infraestrutura sempre à sua disposição. Assim, podemos dizer que morar nesses empreendimentos traz um bem-estar e uma boa qualidade de vida.


6. Menos tempo no trânsito

Por último, morar em condomínio pode ser uma forma de passar menos tempo no trânsito se tiver:

  • localização estratégica para se chegar aos principais pontos da cidade;

  • espaços e atividades como natação, futebol, dança para os filhos, dispensando a viagem para essas aulas externas;

  • academia, dessa forma você não precisa acordar tão cedo para malhar antes do trabalho, já que a academia está a alguns metros de distância da sua casa;

  • espaço de coworking onde os moradores podem trabalhar.

Em resumo, você passará menos tempo no trânsito e isso significa menos estresse e mais tempo com a sua família.


Se você está procurando isso no seu próximo lar, considere morar em um condomínio. Faça visitas, converse com moradores, veja quais benefícios o espaço oferece para você e escolha qual comunidade fazer parte.

Divisória de ambiente: como criar um melhor ambiente

A maioria dos projetos de apartamentos estão sendo construídos no conceito aberto. Esse design é excelente para garantir uma boa iluminação, mas nem sempre ele proporciona a privacidade que precisamos em determinados cômodos.

A solução para esse problema é simples: instalar uma divisória de ambiente.

Conheça os tipos de divisórias e transforme seu apartamento:

Divisória drywall

A divisória drywall é uma das mais econômicas para separar os ambientes. Ela pode ser moldada conforme sua necessidade, com aberturas para janelas, completamente fechadas ou em formatos mais curvos, para destacar um design inusitado.

Divisória de madeira

Outra opção versátil é a divisória de madeira. Geralmente ela é feita em tamanhos menores, como para dividir a cozinha da lavanderia ou a sala de estar da sala de jantar.
Caso queira algo mais simples, que não interfira na iluminação do cômodo e muito menos na circulação do ar, invista nas divisórias vazadas, com formatos geométricos sensacionais.

Divisória com vidros

Outra opção destacar é a divisória com vidros. Essa não proporciona muita privacidade, mas é ótima para manter o apartamento iluminado durante o dia. É ideal para dividir a sala de estar da área de lazer ou para criar um home office dentro de casa – o que é ótimo para quem tem crianças em casa e precisa ficar de olho nelas enquanto trabalha.

Divisória com cobogó

O cobogó é uma peça com acabamento vazado que pode ser feita em cerâmica ou cimento. É uma opção linda de divisória por conta da variedade de desenhos e por não barrar a iluminação e circulação de ar no apartamento.

Cortina divisória

Uma opção simples e eficiente de dividir os ambientes é com ajuda da cortina. Isso mesmo. É uma divisória que proporciona conforto e aconchego para sua casa, além de praticidade, pois você pode tirar sempre que quiser.